Em busca de um armário minimalista #2

estilo-minimalista-1

Estou começando a vivenciar as primeiras mudanças de um armário mais consciente na minha vida. Uma delas é o trabalhão que dá vender as peças pela internet, haha. Tirar um dia para a foto, fazer a seleção, determinar o preço, elaborar uma descrição, subir para o site, acompanhar as interações das clientes, responder perguntas, imprimir etiqueta, guardar em caixas de papelão, levar ao correio… Ufa! Ultimamente o meu quarto e a minha sala estão bem bagunçados, com câmera, malas, caixas e roupas espalhadas por aí.

Isso tem me deixado um pouco agoniada, porque é o tipo de bagunça que não acaba. Não dá para esconder a mala em qualquer lugar. Hora ou outra vou precisar pegá-la novamente para mandar alguma peça pelo correio. Claro que eu estou achando incrível que a lojinha está dando certo, mas não é tão simples quanto as pessoas pensam. Sem contar que o Enjoei tira uma fatia de 20% (ou 25%, não lembro) do valor que você coloca na peça. Mas é um alívio ver todas aquelas coisas que você não quer mais indo para outras donas, ganhando uma segunda chance.

Essa minha empreitada tinha, no começo, a intenção de me fazer pensar mais conscientemente sobre meu guarda-roupa e meu estilo. Assim como muitas, eu nunca me sentia realmente satisfeita com as roupas que ficavam penduradas no meu armário. E isso é uma droga, porque temos várias peças, mas mesmo a quantidade não é o bastante. Parece que está sempre faltando alguma coisa para nos “completar”. Já li bastante sobre a questão de autoaceitação e sabia que, no final das contas, eu não estava satisfeita era comigo mesma, mas nunca consegui planejar de fato uma mudança. Tudo me parecia muito solto, abstrato. Agora, esboçando o meu armário-cápsula, percebi que era de algo assim que precisava.

Tenho aprendido um pouco todos os dias. O desapego é um dos mais difíceis. Eu, que comprei roupas na Europa durante meu intercâmbio, ficava segurando todas elas como uma espécie de “recordação” da minha viagem. Eu sequer pensava em passá-las pra frente. Hoje, vejo que preciso liberá-las. Várias delas já não parecem comigo e com o momento que estou passando – e elas merecem outra chance.

estilo-minimalista-2

Comecei a olhar de um jeito mais planejado para as roupas que uso. Percebi que, apesar de gostar de camisetas com estampa, não preciso comprar SÓ camisetas com estampa. Aliás, ir direto para elas nas lojas me mostra que eu ainda preciso amadurecer meu estilo. Ter só essa opção de blusa me atrapalha na hora de variar as roupas do dia a dia. Camisetas básicas podem parecer sem graça, mas servem como uma tela em branco para criar inúmeras combinações diferentes e com certeza se encaixam no meu cotidiano.

E o engraçado que esse jeito de ver o meu guarda-roupa está reverberando em outras áreas da minha casa. Percebi que tenho coisas demais de um modo geral, e não preciso disso tudo. Então, comecei a dar uma limpa também nas minhas maquiagens, nos meus produtos de cabelo e pele e até nos meus preciosos livros. Claro que rola uma compra compulsiva de livros e, depois, eu me arrependo – não sempre, mas algumas vezes isso acontece. Então, separei aqueles que eu não tenho muita vontade de ler, ou já li e não curti muito, para doar para a biblioteca pública. Melhor lugar impossível!

Então é isso. Essa é a minha saga na busca de um estilo de vida mais minimalista. Não sei onde isso vai me levar, só sei que tenho me sentido muito bem por fazer as energias circularem. Dar outra chance para roupas, maquiagens, livros. E isso tudo me parece tão certo, porque está me deixando mais leve e feliz. Tenho ficado bem contente com o feedback de vocês, principalmente das pessoas que começaram a limpar seus armários por minha causa. Só quero dizer uma coisa: isso tudo precisa ser bom para vocês. Precisa fazer vocês se sentirem como eu, leves e felizes. Se não, perde o sentido. No mais, boa sorte! ;)

Comente aqui

25 comentários

  1. Paola Alves 15 de junho de 2015
    às 16:26

    To amando acompanhar essa sua nova fase Gabi <3 E isso de só comprar um tipo de roupa sempre acontece comigo HAHAHAH quando percebo eu paro e quando vou ver estou fazendo isso com outras peças.. http://simsemfrescura.blogspot.com.br/

    1. Gabi Barbosa 15 de junho de 2015
      às 19:57

      Exatamente, Paola! A gente compra um monte de peças iguais e depois não sabe como lidar com elas, HAHA!

  2. Sofia 15 de junho de 2015
    às 16:39

    Incrível!! Continue assim e mostrando seu processo pra gente!! Que tal mostrar fotos de como vc usava determinadas combinações e novos jeitos de pensar as mesmas peças, como a mina do blog original fez? Muito legal isso!! Não vejo a hora do meu semestre acabar e me sobrar um tempinho pra pensar nisso, certamente vou fazer também! ;)

    1. Gabi Barbosa 15 de junho de 2015
      às 17:02

      Oi, Sofia! Obrigada pelo comentário! :D Quando começar pra valer o meu armário-cápsula (dia 21 de junho!), venho aqui no blog mostrar peça por peça do meu guarda-roupa. Quando aos looks, prometo que vou tentar! Acho que seria bem legal fazer um compilado semanal/quinzenal com as roupas que montei. :)

  3. Laiza 15 de junho de 2015
    às 16:48

    Oiii, Gabi!
    Caí de para-quedas no seu blog através de uma indicação no 2beauty, e me encantei com a proposta do guarda-roupa em cápsula. Já vinha planejando uma mudança dessas no meu, e iniciei meu processo de desapegos muito intuitivamente. Essa proposta era o que faltava pra me ajudar a organizar o processo, obrigada! :)
    De fato é um processo de auto aceitação, e é por ele que devemos começar, por mais dolorido que seja. Força no seu objetivo e estamos juntas! Estarei acompanhando :)
    Em breve postarei o meu no blog também, por hora andei refletindo sobre o lado psicológico disso tudo. Tem post sobre isso aqui: http://laizaabreu.com/2015/04/01/o-problema-que-eu-tinha-no-guarda-roupa-e-na-cabeca/

    Beijos!

  4. Bárbara Almeida 15 de junho de 2015
    às 17:25

    Concordo totalmente, eu sou o tipo de pessoas que tem várias roupas, mas uma combina com somente uma e assim vai.
    Quero ter mais peças lisas e sem ser regata (abuso muito na hora de comprar).
    Mas esse casaco cinza ESTÁ LINDOOOOOOOOOO

    Beijos, Love is Colorful

  5. Maki 15 de junho de 2015
    às 18:02

    Oi, Gabi! Poxa, que legal esse seu relato. Eu tenho me sentido muito bem com o guarda-roupa mais enxuto, ficou mais fácil me vestir e eu estou me sentindo bem mais criativa. E confesso que também levei essa limpeza para outras áreas. Mudei os móveis do meu quarto de lugar, tirei livros para doar, limpei maquiagens, coloquei pra reciclar um mundaréu de papei velho que tinha por aqui… Limpeza geral meeessmo!

  6. Jessica Lauton 15 de junho de 2015
    às 19:15

    Oi, Gabi. Muito massa ler sobre teu processo. Muito inspirador, viu? A minha maior dificuldade é que meu guarda-roupa não me representa mais. Quase tudo o que tem nele são peças acumuladas ao longo dos anos e quase nada me agrada mais de verdade. Mudei muito nos últimos anos e não sei como montar um guarda-roupa que reflita isso. Então me desfazer de muitas peças não vai ser o problema e sim adquirir as novas. Sou evangélica, o que me coloca algumas restrições no guarda-roupa. Não tenho nenhum problema com isso, o que é ruim de verdade é a dificuldade pra encontrar nas lojas roupas que, ao mesmo tempo que caibam no meu gosto e bolso, se encaixe também nas regras que sigo. É mais viável ir na costureira, mas isso torno o processo todo mais demorado. Ufa! Desabafei! Mas não vou desanimar! Obrigada por nos inspirar. bjbj

  7. Patricia Leardine 15 de junho de 2015
    às 19:30

    Que legal acompanhar esta fase por aqui, Gabi. Sabe que eu encontro uma baita dificuldade de encontrar roupas sem estampa. Quer dizer, encontrar até encontro, mas eu aprendi com a minha mãe (que é costureira) sobre o tecido. É legal escolher um tecido leve, confortável e que dure. Já comprei roupas com preços mais altos que não duraram nada, e outras bem baratinhas com um tecido super bom. Eu gosto muito de roupas estampadas, mas ultimamente tenho repensado ou escolhido peças neutras para combinar com todas aquelas que eu ainda tenho e pretendo usar por um tempão.

  8. Paula Pereira 15 de junho de 2015
    às 20:15

    Acompanho o blog já tem um bom tempo mas acho que nunca comentei por aqui. Já tem uns meses que estou procurando referências sobre armário capsula, mas um problema que eu tenho é que uso uniforme social para trabalhar e acabo não exercitando muito a composição de alguns tipos de looks e de não comprar peças que muito provavelmente usaria para trabalhar.
    Estou no mesmo emprego tem 3 anos e meio e onde trabalho as vezes preciso fazer cursos em outras cidades e etc.. e acabei percebendo que não tinha algumas peças que seriam adequadas, não é exigido peças sociais, mas aquele jeans com um corte e caimento melhor e etc.. Comecei a reparar mais nisso e buscar algumas peças que sejam legais para usar nessas ocasiões e que dê para usar para sair, passeio no shopping… e etc
    Comecei um curso de consultoria de imagem para me ajudar e quem sabe trabalhar como consultora, com o meu amadurecimento estou com dificuldades para lidar com a minha imagem, tenho 28 anos e um filhote de 12 anos, já sou formada em biblioteconomia, tenho meu ap e moramos sozinhos e em 2 anos eu me caso e me mudo para um ap maior..são muitas mudanças na minha vida =)
    Na verdade vim comentar aqui sobre doar livros, sempre compro alguns livrinho de literatura desses bem tranquilinhos ou best sellers sabe? Leio uma vez e empresto para outras pessoas e depois sempre doo para uma biblioteca, você não tem noção na importância de títulos principalmente mais novos para uma biblioteca =)
    E também faço uns limpas em maquiagem, máscara de cabelo e etc…acabo dando para alguma pessoa próxima que sei que precisa/vai usar. Acabo destralhando e ajudando outra pessoa.

    Beijos

  9. Deborah 15 de junho de 2015
    às 20:24

    Isso é muito legal, Gabi! Quero ver as combinações que você faz com suas poucas peças, pra me inspirar também. Quando tiver um tempinho, quero limpar meu armário também, sempre acho que é um tipo de renovação de energia. Adoro tirar coisas de casa.

    Conta um pouquinho mais de doar livro pra biblioteca, achei uma ótima ideia!

  10. Bruna 16 de junho de 2015
    às 01:56

    Oi Gabi! Eu também tenho uma lojinha no Enjoei e sei como é essa bagunça, minha casa também vive cheia de roupas e pacotes espalhados :p Mas é o jeito, né? Só fico realmente triste com as taxas altíssimas do site, que acabam fazendo com que as pessoas aumentem os preços dos seus produtos e o real sentido de “bazar” meio que acabe se perdendo. É bom olhar com esse senso crítico para o nosso guarda-roupa e o nosso estilo. Eu particularmente adoro essas peças mais básicas, e não é por isso que o nosso estilo tem que ser chato. Uma porção de blusinhas sem estampa ajuda muito na vida :p
    Beijão

  11. Gabriela 16 de junho de 2015
    às 09:32

    Gabi, também estou nessa saga! hahah na verdade eu ja tenho um armario minimalista… diria que uma parte dele. pra voce entender, eu percebi que eu uso apenas 30% do meu guarda roupa que são as peças minimalistas, as mais novas, ou seja, o restante nao combina mais com a gabi que sou hoje, sao antigas e acabo deixando ali achando que vou usar alguma hora mas nao vou hahahahah
    tem um ditado que é “se vc nao usou a roupa em 2 anos, voce nao vai usar mais’ 2 anos acho muito ainda. entao porque nao desapegar né, estou doando as que usei bastante já, e as que quase nao usei ou estão bem conservadas estou vendendo.
    e é engraçado como a gente fica querendo limpar todo o resto haha as bijouterias uso sempre as mesmas o restante fica só fazendo bagunça.
    o ruim disso tudo é que da um trabalhaaaao mesmo :(
    te adicionei na sua lojinha. beijo!

  12. Fabíola de Andrade Borges 16 de junho de 2015
    às 11:28

    Eu também tenho MUITAS camisetas com estampa. No verão é ótimo… Qualquer short, saia e sapato são fáceis de combinar com essas blusas. Mas chega o inverno e começo a ficar até com preguiça de sair de casa, por conta das roupas não-combináveis. Falo que tenho pouca roupa e minha mãe achava injusto eu dizer isso. Mas na verdade eu tenho pouquíssimas combinações… Ainda mais agora, que eu entrei em uma fase que não quero mais usar jeans – sempre achei desconfortáveis. Aí fica quase impossível fazer uma combinação prática.
    O problema é que eu estou sem trabalhar hahaha mas pretendo logo dar um jeito nisso. As últimas roupas que andei comprando já foram mais a partir da consciência de que preciso pensar no resto do guarda-roupas e com quantas peças elas combinarão.
    Adorei a postagem! É ótimo desapegar, mesmo. Outra coisa que também estou querendo abrir mão são alguns livros que ganhei de uma editora que já não tenho parceria, e que não me chamam nenhum pouco a atenção… Normalmente romances mais infanto-juvenis e chick-lits. Mas como não sei se de fato os livros são de todo ruins, pretendo ir olhando aos poucos e passando para frente :)

    1. Fabíola de Andrade Borges 16 de junho de 2015
      às 11:30

      Ah, e uma curiosidade… Onde você comprou as meias-calças lindinhas que colocou à venda? Estava procurando algumas pela minha cidade, mas parece quase impossível achar alguma que fuja do básico.

  13. Mareska 16 de junho de 2015
    às 15:05

    Eu faço essas limpas mais ou menos de 4 em 4 meses, ou de 6 em 6. Essa coisa do apego emocional à algumas roupas foi a parte mais difícil de superar, mas quando deu certo, as coisas foram saindo sem dó nem piedade! Só exagerei quando fui “limpar” a parte de sapatos – acabei ficando só com 3 pares!

  14. Paula 16 de junho de 2015
    às 16:26

    Oi Gabi! Adoro fazer limpas no meu armário e nos meus livros. Faço isso umas 2x por ano. Como sou bem desapegada, acabo me sentindo bem depois de fazer uma limpa, com aquela sensação de dever cumprido. Depois de ver seu post sobre o armário-cápsula fiquei ainda mais estimulada a me livrar de muita coisa inútil que eu ainda acumulava! Montei uma loja lá no enjoei também, junto com as minhas irmãs. :) https://www.enjoei.com.br/paula-1bbfd3

  15. Gabriela 16 de junho de 2015
    às 16:28

    Xará, tô adorando acompanhar sua experiência!

    Semana passa eu finalmente criei coragem e fiz uma boa faxina no meu guarda-roupa. Eu não preenchi aquele PDF do Unfancy que você indicou, mas estabeleci alguns critérios na hora de eliminar as peças.

    Blusas da época da faculdade, casacos da adolescência, calças que nunca usei (e nem quero usar)… Depois que vi meu armário pronto, bateu uma sensação boa que se estende até hoje.

    Primeiro descobri peças lindas e de qualidade que eu sempre deixava para “um lugar especial”, “uma data especial” e esse momento “especial” nunca chegava, sabe? Agora eu USO DE FATO essasroupas e me sinto ótima!

    Também me livrei daquelas peças-muletas, que bloqueavam a criatividade. Algumas uso para ficar em casa, ou de pijama, outras eu doei e outras vou vender.

    Tenho o mesmo sentimento que você, parece que essa energia circula e acaba atingindo outras áreas da nossa vida, dando mais clareza para as ideias. Não gasto mais tanto tempo pensando em um look igual era antes.

  16. Carol 18 de junho de 2015
    às 15:12

    Muito legal, Gabi! Também estou tentando fazer isso com minhas coisas em geral. Aprender a desapegar das coisas é muito libertador, tira um peso danado das costas. ;)

  17. BA MORETTI 19 de junho de 2015
    às 16:17

    é como a namorada do meu pai costuma dizer: energia tem que circular. e é bem isso mesmo. quando a gente coloca energia pra circular, abrimos espaço pra outras energias. é bom demais :) só que no meu caso não tive paciência pra vender e doei tudo HAHAHA

  18. Dani Cruz 24 de junho de 2015
    às 14:44

    Também estou querendo entrar nesse experimento! Hoje mesmo comecei a repensar muitas das minhas roupas… Vou tirar o fim de semana pra fazer uma grande faxina no armário!

  19. André Hottër 6 de julho de 2015
    às 22:45

    Quem super indicou seu post foi a Natália da Nambarices e não pude deixar de vir conferir!
    #Adorei! :)

    HuG! ;)
    http://www.andrehotter.com

  20. Simone Santana 11 de maio de 2016
    às 13:39

    Descobri seu blog hoje e estou adorando seu armário cápsula e estou bem tentada a começar também…bjs