Categorias: Filmes / Séries

Os dois últimos documentários que assisti

documentario

Estou voltando aos pouquinhos com o blog (bem pouquinho mesmo, como é possível notar, hahah), mas algumas novidades andam acontecendo na minha vida. Quem me acompanha no Instagram sabe uma delas. Outras mudanças acabaram coincidindo e ocorrendo ao mesmo tempo, mas é só questão de tempo para que tudo se assente de novo. :) Mesmo assim, aproveitei o feriado do dia 7 de setembro para escrever um pouco e me redimir com vocês!

Bom, eu nunca tive opinião muito formada sobre documentários. Só a partir de alguns meses para cá, tenho curiosidade de ver todos que estão no catálogo da Netflix. É tanto ensinamento incrível que a gente tira desses filmes que é quase impossível sair ileso deles. Os dois últimos que vi não estavam necessariamente por lá, mas são tão bons quanto. Ambos foram indicações e acho que merecem ser passados para frente.

documentario-eu-maior

O primeiro é uma produção brasileira que está na íntegra no Youtube. Eu Maior fala sobre essa constante busca humana pelo autoconhecimento e pela felicidade. O documentário é cheio de reflexões incríveis que realmente nos fazem parar e analisar a nossa própria vida.

É um momento em que paramos de apenas ~viver~ para começar a entender o caminho que estamos traçando. São muitas as frases que nos ajudam a compreender certos vícios e que tocam mesmo lá no fundo do coração (emotiva? imagina… hahah). Se esse tipo de assunto te atrai, recomendo fortemente esse documentário. Aproveite e veja o trailer abaixo:

/ /

documentario-i-am

O documentário I Am foi feito pelo diretor Tom Shadyac, conhecido mundialmente por filmes como Todo Poderoso e Ace Ventura. Depois de sofrer um acidente e ter a sua vida por um fio, ele começou a repensar toda a sua trajetória até então. O enredo pode parecer um pouco clichê (um pouco? hehe), mas as reflexões que ele vai buscar fazendo o documentário são muito ricas. Tom conversa com grandes pensadores fazendo perguntas como “o que há com o nosso mundo?” e “o que podemos fazer em relação a isso?”.

Infelizmente, o documentário não está disponível de graça, mas eu aluguei para vê-lo no iTunes. Dizem que ele está na Netflix, mas eu não achei – podem ter tirado do catálogo. E, bom, o trailer abaixo também não possui legenda, mas você pode ler mais sobre ele aqui.

/ /

Vocês já viram algum desses documentários? Me indicam outros que têm o mesmo viés? :)

Comente aqui

5 comentários

  1. Bárbara Bastos 8 de setembro de 2016
    às 11:45

    Favoritando este post! :)

    Olha, Gabi, não costumo ver documentários, não… eu ainda não vi um, mas já me recomendaram: “Quem Somos Nós” e “Quem Somos Nós 2” (que explica o primeiro). Normalmente, quando tô numa vibe reflexiva (e pintando as unhas), procuro palestras longas no youtube. Gosto muito de
    – Maria Rita Kehl, que é psicanalista e aborda temas cotidianos muito importantes com muito embasamento, vale demais a pena! Gostei muito das palestras sobre depressão e feminilidade.
    – Leandro Karnal, que é professor de História e pesquisa religiões, e que está muito nas mídias ultimamente, embora já o acompanhe há anos… todas as palestras dele são ótimas! Ele escreveu um livro muito bom, algo como “Conversas com um jovem professor”, que recomendo a qualquer pessoa que queira trabalhar interpessoalmente (educador, terapeuta, consultor…).
    – Marcia Tiburi, filósofa feminista, que traz um forte embasamento histórico para abordar questões contemporâneas. :)

    Acho que este post abriu mais minha cabeça pra documentários, não vejo muitos, sabe? É uma pegada muito legal, pra variar um pouco em relação aos filmes “tradicionais” que costumo ver… falando em filmes, você viu Aquarius?

    [De documentário, só tinha visto o “Aging with style” na Netflix, que é superfofo!!! E fala sobre moda e auto-estima, se você não conhece, veja, acho que pode gostar!]

    Enfim, adorei o post novo e o retorno!!! Muito sucesso, muito bom trabalho, muitas coisas bonitas como você!

    Beijão

  2. Nana 8 de setembro de 2016
    às 17:58

    Eu vi o Ilegal no GNT e agora tem no netflix e vale muito a pena! E também tem um sobre o campo de refugiados da Síria no Netflix, mas não vou lembrar o nome. Valeu muito a pena também!
    Bj e fk c Deus.
    Nana
    http://nanaeosamigosvirtuais.blogspot.com

  3. Malu Frazão 9 de setembro de 2016
    às 17:03

    Nossa, fiquei com muita vontade de assistir o Eu Maior. Na hora me lembrei dessa música maravilhosa do Dani Black com o Milton Nascimento: https://www.youtube.com/watch?v=mc1ANOYexlI.

  4. Paula Reggiori 11 de setembro de 2016
    às 12:36

    Que vontade de sair correndo ver as suas indicações! Andei vendo uns documentários feministas na semana passada, mas quero mudar um pouco o foco, acho que vai ser enriquecedor demais ver algo mais introspectivo assim.

    Um beijo e obrigada,
    Foca no Glitter

  5. Amanda 3 de outubro de 2016
    às 19:08

    Oi, Gabi! :)
    Você já assistiu a Happy? Vi na Netflix, mas não sei se ainda está por lá. Se você curtiu I Am, com certeza vai gostar desse. :) Ahhh! Living On One Dollar tb! Que é super tocante.
    Sou fãzoca de docs e também de palestras do TED! HAHAHAHA
    Gostei da sua indicação do Eu Maior, não conhecia. Verei. :)